Visualizações de página do mês passado

segunda-feira, 28 de maio de 2012

GREVES, GREVES E MAIS GREVES! Quem Paga a conta é sempre o Trabalhador.




Greves no transporte público de São Paulo, Curitiba, Salvador, e outras tantas cidades espalhadas pelo Brasil. Greve dos médicos no Rio Grande do Norte, greves dos policias no Rio de Janeiro e Salvador, são inúmeras as greves que atualmente vem movimentando, ou melhor, parando nosso país. Os motivos para a realização de tantas greves são os mais diversos, entre os mais citados estão a exigência de aumento de salário, melhoria das condições de trabalho, aumento dos benefícios como vale transporte e alimentação, entre outros tantos. Não importa o motivo, muito menos o sindicato que defende esta “causa justa”, o que vem ficando cada vez mais evidenciado, é que a população é quem acaba pagando esta pesada conta em seu dia a dia. 

Já não basta ter que viver diariamente com a deficiência existente nos serviços públicos como saúde, transporte público, e educação, em alguns momentos acabamos por ser totalmente privados da utilização destes serviços que são de nosso uso por direito, visto os altos impostos que pagamos, e que nem sempre são revertidos para a melhoria destes serviços de necessidade primordial para a população.

Um bom exemplo do descaso atual com os serviços públicos, foi o fato ocorrido na semana passada na cidade de São Paulo. A greve do metro e a parada no funcionamento de duas linhas dos trens da CPTM causaram transtornos que vão muito alem de atrasos e faltas justificadas dos trabalhadores, toda a economia local acabou sendo prejudicada de diversas maneiras, e o pior de tudo, já percebemos que estamos a mercê de pessoas muitas vezes mal intencionadas que de um dia para o outro podem decidir iniciar uma nova greve complicando a vida de quem não tem nada haver com a questão, o trabalhador.

Não quero discutir os motivos que levam os sindicatos a decidir pela realização de uma greve generalizada, mas sim, tentar entender qual o objetivo de uma greve. Quer dizer, quando funcionários públicos de determinado segmento mostram descontentamento com alguma situação em seu emprego, eles optam por uma greve, que acaba penalizando apenas o lado mais fraco da corda, o trabalhador, que fica  em meio a um fogo cruzado entre sindicatos e governantes, sendo atingido diretamente sem ter opção de fuga. 

Falar que nossos governantes não pensam na população é o mesmo que chover no molhado, porém, até que ponto os sindicatos que se dizem tão preocupados com o trabalhador realmente pensam neles no momento de iniciar uma greve? Na minha opinião, este é mais um exemplo de uma classe que tal igual a nossos governantes tem pensamento apenas em benefício próprio, e buscam a maneira mais fácil e impactante de fazer pressão para conquistar seus objetivos de maneira forçada e chantagista, através de greves que param cidades, complicam o dia a dia da população, e solucionam apenas suas próprias necessidades e problemas, até a próxima greve.

Como já havia dito anteriormente, estamos nas mãos destas classes sindicais e governantes que não demonstram nenhuma preocupação com o verdadeiro trabalhador, que mesmo enfrentando greves e outros tantos obstáculos, continuam sua caminhada (literalmente falando) para não perder se quer um dia de trabalho. Ontem mesmo pude ver diversos desses casos, pessoas que em meio a falta de opção e suporte do governo para solucionar a greve, se viam obrigados a caminhar por 2, 3 horas para chegar ao seu trabalho, e depois de encarar uma rotina cansativa de trabalho, novamente encaravam todo este martírio para tentar retornar a sua casa e no outro dia mais uma vez sair de casa sem saber como chegará e se chegará ao emprego.

E agora, após o final desta greve do metro e dos trens da CPTM em São Paulo, tudo vai voltando ao “normal”, ônibus e trens lotados, falta de segurança, atrasos, etc. É desta forma que continuamos levando nosso dia a dia, esperando até a próxima greve no serviço público que irá afetar completamente a rotina diária de quem mais precisa, e que menos pode fazer para mudar este cenário que se mostra preocupante a longo prazo.

Sei que o objetivo deste blog não é ser um canal de reclamações públicas, mas sinceramente, vejo que a minha reclamação é a mesma de muitos trabalhadores, que já estão cansados de ficar na mão de governantes e sindicatos que se preocupam apenas com suas guerras internas, e que tem no trabalhador apenas uma momentânea atenção eleitoreira. 

Espero que este post possa ter produzido uma boa reflexão sobre o real papel dos sindicatos na vida do trabalhador, afinal de contas, qual o objetivo deles? Defender o trabalhador? Acho que isso precisa ser repensado, pois não sei de que lado do trabalhador eles estão!

Fique a vontade para entrar em contato conosco caso tenha interesse em debater este assunto de maneira mais aprofundada, tenho certeza que estes pontos são compartilhados por boa parte de nossa população em seu dia a dia. Estamos a sua disposição!

E-mail / MSN: leandro.2ts@hotmail.com
Twitter: @leo2ts
“Os Sonhos nos Motivam, mas são as Idéias que nos Movem”

Deixe seu comentário a respeito do post publicado, sua opinião é muito importante para oferecermos um conteúdo com cada vez mais qualidade e relevância ao seu dia a dia.